A mudança tem que ser pra já!

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Presidenta diz que vai cortar ministérios, diminuir de 39 para 29, pequeno é o corte, mas já é alguma coisa.

Para que tantos ministérios, tanta gente que nem ela a presidenta sabe o nome, fingindo trabalhar, ganhando salário alto, auxiliares mais à toa ainda?

Povo está cansado de tanto desperdício, desvios e roubalheiras nem se fala, governo pede colaboração, as pessoas economizam, poupam água, apagam as luzes, diminuem o que comer, e no fim do mês o que recebem?

Mais aumentos, inflação subindo, água e luz tem que ficar mais caras, as empresas não podem ter prejuízos, o trabalhador sim, grandes empresas demitem centenas de trabalhadores, faltam médicos no Sistema Único de Saúde, professores não têm estímulo nas salas de aulas, aposentados vão receber 13º salário em parcelas.

Chega de tanto sacrifício do povo pra nada, Brasil ao invés de melhorar, anda pra trás, corrupção, propina e roubalheiras estão em todos os órgãos governamentais, sejam empresas públicas 100%, ou estatais de economia mista.

A sociedade brasileira pede mudanças profundas, não remendos, no Sistema Político, Tributário e Judiciário. Não dá mais para aceitar distorções extravagantes nos rendimentos de um parlamentar com os de um professor ou médico, por exemplo. Como concordar que um vereador de uma Capital como Belo Horizonte, tenha vencimentos de quase 80 mil reais mensais, entre salário e verbas, enquanto um professor de ensino fundamental recebe menos de 2.000 reais, já incluídos todos os benefícios da carreira?

Deputados, senadores, vereadores são servidores do povo, estão ali eleitos para fazer as leis, serem intermediários dos cidadãos junto aos órgãos públicos. Não para se enriquecerem durante o mandato. Ser político não deveria ser uma profissão.

Por que não seguir exemplos de países muito mais ricos que o Brasil, em que os políticos não têm salários, recebem ajuda de custo, não têm auxiliares, nem motoristas, andam de ônibus e metrôs?

Aqui, no Brasil, mais do que lá fora, os políticos deveriam usar o transporte público, o Sistema Único de Saúde, colocar seus filhos nas escolas públicas, receber o salário de professores ou de aposentados.

Agindo assim, saindo do mundo blindado em que se encontram, vivendo como nós aqui fora, cidadãos comuns, honestos e trabalhadores que somos, espoliados e roubados por impostos, sem estabilidade nos empregos, segurança falida, à mercê de bandidos e da violência, aí sim, poderíamos ter esperança e acreditar que esse país pode mudar para melhor.

corrupção cortes desvios ministérios mordomias políticos profissão roubalheira salários
Guilherme Cardoso
Guilherme Cardoso
Jornalista diplomado, idade acima de 60, pós-graduado em Docência e Gestão do Ensino Superior, mestre em Administração, escritor com sete livros publicados, um Contador de Casos, otimista, sonhador e articulador em Minas Gerais do Movimento pelo Imposto Único, que acredita, um dia se tornará realidade.

Faça seus comentários abaixo: