Brasil rebaixado

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Brasil tem nota rebaixada por agência internacional. Descemos para o nível do lixo. É o que diz a imprensa estrangeira. Somos considerados maus pagadores. Poucos vão querer investir seus dólares e euros no país. Que vergonha!

Motivo do rebaixamento? Incompetência no gerenciamento da coisa pública, falta de planejamento, ausência de projetos bem elaborados, desentendimentos políticos, corrupção em alta, juros astronômicos, governo fraco.

Presidenta fala em travessia, que a situação ruim é provisória, que o país vai dar a volta por cima, voltar a crescer novamente em curto prazo. Quanta mentira!

Para isso pede a ajuda do povo, diz que a saída é aumentar impostos, cortar benefícios, refazer idade para se aposentar, brasileiro está vivendo mais.

Será que empresários e trabalhadores estão de acordo?

Ao invés de criar e aumentar impostos para cobrir o rombo feito por ela a presidenta, por que o Governo não corta suas mordomias, reduz os ministérios de 39 para 10, acaba com os cargos em comissão, que são milhares, não diminui os salários dos juízes dos tribunais, dos senadores, deputados e vereadores?

Em países muito mais ricos que nós, os políticos andam de transporte público, ônibus e metrôs, colocam seus filhos em escolas públicas e ganham salários bem próximos de professores e médicos.

Já temos motivos de sobra para exigir a saída da Presidenta e do seu partido PT do comando do país. Com mais esse “mico”, rebaixamento do grau de confiança dos investidores estrangeiros, se aqui fosse um país sério, este seria o momento ideal para se pedir um impeachment ou a renúncia imediata de todo o atual governo.

corrupção credibilidade investimentos mau pagador mordomias presidenta renúncia
Guilherme Cardoso
Guilherme Cardoso
Jornalista diplomado, idade acima de 60, pós-graduado em Docência e Gestão do Ensino Superior, mestre em Administração, escritor com sete livros publicados, um Contador de Casos, otimista, sonhador e articulador em Minas Gerais do Movimento pelo Imposto Único, que acredita, um dia se tornará realidade.

Faça seus comentários abaixo: